Bodas de Alexandrita

 …ou meus 26 anos

“Mais sábios que os homens são os pássaros.
Enfrentam as tempestades noturnas, tombam de seus ninhos,
sofrem perdas, dilaceram suas histórias.
Pela manhã, têm todos os motivos para se entristecer e reclamar,
mas cantam agradecendo a Deus por mais um dia.
E vocês, portadores de nobre inteligência, que fazem com suas perdas?”

Augusto Cury, no livro O futuro da Humanidade.

Eu sempre gostei de fazer aniversário. Completar mais uma no de vida, um ano de experiências, um ano mais de aprendizado. Há quem diga que eu gosto disso agora, pois, depois dos 30, aniversário vai ser um peso. Bem, isso só poderei responder daqui quatro anos.

Mas, o que é curioso em meus aniversários versus idade é a minha real expectativa.

Eu sempre quis fazer 15 anos. Quando o fiz (um churrasco com amigos e não festa contendo valsas e toda aquelas frescuras), já imaginava chegar aos 18 anos. “Carteira de habilitação, aí vou eu!”, pensava. Realidade: estou tirando carta somente agora. Enfim… Depois dos 18, veio a vontade de chegar aos 25, pois para mim 25 anos era sinal de Faculdade terminada, emprego garantido, fazer o que gosto. Realidade: hoje estou com 26, fiz a faculdade que tanto amo (Letras), no entanto ainda não estou no emprego dos meus sonhos, pois para tal ainda necessito de Doutorado (e nem uma simples pós-graduação eu tenho).

Contudo, embora isso seja sinal de fracasso ou frustração para muitos, para mim não é. Na verdade, mais me parece um sinal de que eu ainda não estou pronta. Ainda necessito de experiências para que, quando chegar o momento, saiba escolher entre o certo e o atraentemente errado.

Quando chega meu aniversário, eu sempre paro e analiso como foi meu ano; o que, por coincidência, acaba batendo com o fim do ano (Natal e Ano Novo). Sim, eu sou do tipo que para e pensa sobre o quê e como viveu até agora. E entre tudo isso, sei que posso ressaltar muitas coisas.

Já conquistei muitas coisas e outras acabaram passando por desleixo; já sofri por amor e achei graça ao perder paqueras; pensei que “Aquela pessoa” estava bem na minha frente, mas na verdade ela era apenas aquela pessoa.

Passei por maus bocados, achando que meu mundo iria acabar: em alguns momentos, ele realmente ficou de cabeça para baixo, me sufocando; em outras, era apenas exagero de minha imaturidade. Decepcionei-me e fiquei chocada com pessoas de uma maneira que jamais imaginei que seria; no entanto, também decepcionei quem nunca quis magoar. Em contrapartida, houve aqueles que eu esperei muito e o que recebi não foi nem metade; já outros, nos quais esperava apenas metade, recebi mais que o dobro.

Minha família também aumentou. Ganhei um cunhado/irmão com o casamento da minha irmã caçula, uma sobrinha postiça com o nascimento da filha linda de uma amiga querida e conquistei amigos que moram tão longe que faço de tudo para que fiquem sempre em meu coração juntos de amigos que sempre estiveram presentes em minha vida.

Com mais um ano vivido, percebo que ainda não vivi o que queria, mas gostei de tudo o que vivi. Afinal, como diz o sábio “A beleza está nos olhos de quem vê”. E, otimista como sou, consigo ver muita beleza na vida, aprender com meus tropeços e saber que, o que passa por mim, se não permanece, a responsabilidade por isso é apenas minha.

E por fim, mas não menos importante, deixo aqui o motivo de eu ter escolhido o título “Bodas de Alexandrita” para este post. E embora para bom entendedor meia palavra basta, só digo que, neste caso, o literal pode ser passado para o subjetivo que não haverá problema de interpretação. Fora claro, Bodas de Alexandrita é quando o casal comemora 26 anos de casamento. Neste caso, o casamento é entre a Vida e Eu.

 

Sendo uma das pedras mais caras do mundo, é muito apreciada e de grande valor. A alexandrita muda sua cor de acordo com a luz: à luz natural é geralmente verde-oliva, mas à luz artificial assume cor vermelha. Algumas vezes pode conter minúsculas inclusões em forma de agulhas, paralelas, que refletem uma luz prateada e ondulante. Quando lapidada, a alexandrita é conhecida como Olho de Gato.

Anúncios

6 comentários sobre “Bodas de Alexandrita

  1. Unknown disse:

    Tá ai…gostei tanto de tudo, texto, cor da pedra e significado, que vou comemorar meus (26)anos de casada. .e não 25, como de costume e tradição de todos (bodas de prata)…primeiro por estar sem recursos financeiros tbem….e por mais essa razão. ..Obrigado pelo esclarecimento. ..Vera Fonseca

    Curtir

  2. Unknown disse:

    Tá ai…gostei tanto de tudo, texto, cor da pedra e significado, que vou comemorar meus (26)anos de casada. .e não 25, como de costume e tradição de todos (bodas de prata)…primeiro por estar sem recursos financeiros tbem….e por mais essa razão. ..Obrigado pelo esclarecimento. ..Vera Fonseca

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s